I

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

L

M

N

O

P

Q

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

Iara Ladvig Budelon - Nós desfeitos de nós - Desafios

Iara Ladvig Budelon não precisou mais do que 46 lições para colocar o leitor na universidade da vida. São ensinamentos de profunda humanidade que geralmente nos passam despercebidos mas, uma vez atentos em suas palavras, toda bonança antecipa-se às tempestades; a claridade às sombras; o humano ao desumano. Nós desfeitos de Nós: Desafios começa a brilhar pelo título, um achado. Os nós que o ser humano permite que se façam por engano, mas somente o próprio ser pode desfazê-los. E assim a obra constrói-se multiplica e ao mesmo tempo harmônica. Trata de temas inerentes ao dia-a-dia, sempre mostrando soluções de sabedoria, com paciência e perseverança, nunca propondo milagres. É fácil afirmar que esta obra deve tornar-se nosso livro de cabeceira, gotas de saber e de alento, poções de fé e esperança para cada novo dia que se constrói com força e com fé. Receita que Iara Ladvig medica com ervas de palavras balsâmicas. A autora ensina melhor, com suas próprias palavras: Existe uma indiscutível necessidade que apela com veemência, o autoconhecimento, o desatar dos nós íntimos para poder, então, entender o que se passa ao nosso redor. Pode ser que não uma bíblia o que o leitor tem em mãos, mas que é uma poderosa enciclopédia que nos ensina e alenta os dias, ah, isso sim.

Iara Ladvig Budelon é natural de Porto Alegre, onde vive até hoje. Graduada em Serviço Social, trabalha com Gestão de Projetos Sociais e Pesquisa, casada e tem três filhos: Cristiane, Rafael e Daniel. O primeiro contato com a arte literária foi aos 16 anos, quando escreveu o romance: Areias Escaldantes. Incentivada pela Profª. Vânia Mendes, da EEF Visconde de Pelotas, situada no bairro Auxiliadora, participou de vários Concursos Literários. Foi merecedora de Menção Honrosa no Concurso Literário LBA/Sul brasileiro/1982 – Ano do Idoso, na modalidade Conto. Possui algumas obras ainda não publicadas, na categoria poesia: Âmago da Alma e La Femme; além do romance La Casa Amarilla, a ser brevemente editado.

Conteúdo da aba

Ieda Heck Kochem - Tatá e o Natal Solidário

Esta linda obra, TATÁ e o Natal Solidário, é fruto das histórias que Ieda Heck Kochem costuma criar para os seus queridos alunos.

Tenho certeza que irão gostar deste livro, o qual servirá de inspiração para ações solidárias como as da personagem Tatá, cada vez mais importantes em nossos tempos.

Boa leitura a todos!

Escritor Ari Heck

Com muito orgulho, não por ser a minha irmã, mas pelo exemplo que é, lhes apresento a escritora Ieda Teresinha Heck Kochem, nascida em Boa Vista do Buricá-RS, casada, mãe de três filhos e avó de três netos. Hoje com 60 anos, a trajetória da escritora começou aos 40 anos, quando os filhos já estavam crescidos e ela iniciou a sua vida acadêmica. Hoje é formada em pedagogia, na área de orientação e supervisão escolar. Também é pós-graduada em gestão pública, na área de psicopedagogia institucional e cursando educação do campo. É professora de educação infantil na escola do campo Bem Viver Caúna de Três de Maio-RS.

Escritor Ari Heck

Inêz Ramos Crespo - MEU FILHO TDAH e outros bichos

Para um profissional, correr os 42 km de uma maratona em pouco mais de duas horas é um imenso esforço. Imagine uma família inteira zelar com extremos cuidados um familiar com TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade); a mãe, sobretudo? O tempo todo. A vida toda! Agora não imagine. Conheça todo o esforço que demanda cuidar de um familiar TDAH. Amorosamente! Então veremos que o sacrifício de correr uma maratona é só um passeio. Esta é a experiência de vida que a mãe, professora, poeta e escritora, Inez Ramos Crespo, nos relata – o que para muitos seria um pesadelo – a ela torna-se uma missão divina. Cuidar e amar um filho com fragilidades humanas – necessitando de cuidados quase sobre-humanos. Mas vê-se que, em Meu filho TDAH e outros bichos, o amor a tudo supera: seja a dificuldade escolar, a difícil inserção social, relacionamentos… O transcorrer do tempo e destas páginas mostram que todo o amor é sempre vitorioso. Deixe-se emocionar nesta leitura. Ah, e no final, não se esqueça de aplaudir mãe e filho. O Editor

Nasceu em Camaquã, no sul do Brasil, em 1962. É professora Especialista em Matemática e em Supervisão Escolar. Mestra em Educação. Poeta, sócia e ex-presidente da Casa do Poeta Camaquense, publicou em 1991 “Título: Mulher”, em 2006 “ Rosa de Sal”, assim como várias coletâneas poéticas. Possui também artigos publicados em revistas pedagógicas.

Conteúdo da aba

Irajá Barreto Cibils - Anonymus Corpus Anonymus Versus

Aqui, através do verso e da prosa, você conhecerá Irajá Barreto Cibils, autor de grande sensibilidade que, recolhendo lembranças, desnudou, por inteiro, sua alma ao escrever Anonymus Corpus Anonymus Versus, e está, agora, diante de nós, frágil, sem pseudônimo, sujeito a nossos olhares críticos ou benevolentes. […]

Perceba que o autor, como grande ator e diretor que é, facilmente nos leva aos palcos da vida, a experimentar sentimentos, emoções… Permita-se mergulhar entre as letras, palavras e sentidos desse livro e viaje pelo mundo de Irajá, que, por certo, é um pouco do mundo de cada um de nós. Quem não ama ou amou? Inspire-se. Sonhe. Ame. Viva com força, intensidade.

Ana Irene Moraes da Silveira
(Excerto do Prefácio)

Veterinário, produtor rural (com muito orgulho), ator, diretor, professor e dramaturgo de teatro, poeta, escritor, bruxo. Falar de mim é difícil. Não quero parecer pretencioso, tampouco modesto. Sou Capricorniano do dia 12/01/1957, com ascendente em Aquário e Lua em Gêmeos. Meu lado pé no chão tenta segurar-me enraizado na Terra, mas o Ar de Aquário e Gêmeos me faz viajar pelo Cosmo ao passado e ao futuro. Sou filho de Xangô, com isto, odeio injustiças! Sou um apaixonado pela Vida e o que ela me proporciona através da Natureza, as suas infinitas e maravilhosas belezas. Sou espírita, depois de ter experimentado várias religiões, mas foi aí que me encontrei. Não acredito em religião alguma, tampouco em Igrejas, sacerdotes, pastores, pregadores, etc. Frequento o maior de todos os Templos – a própria Natureza! Os livros ditos sagrados abomino! Pois foram escritos por homens tão cheios de vaidades, asperezas, ignorâncias, preconceitos, como qualquer humano, então, não me sinto à vontade para seguir qualquer orientação destas criaturas. Minha prosa poética aborda diversos assuntos, respeito as opiniões contrárias, mas constituem-se dos meus pensamentos e filosofias, que, aos meus sessenta e dois anos de idade, reservo-me o direito de não modificá-los irremediavelmente! Espero que os leitores dos meus escritos, de alguma forma, identifiquem-se, ou não, com o que coloco, tenham, sim, uma boa leitura e permitam-se viajar comigo.

Conteúdo da aba

Irajá Barreto Cibils - Devaneios

Literalmente falando, DEVANEIO significa um capricho da imaginação ou sonho e, se capricho, denotativamente, quer dizer desejo inopinado ou súbito, então DEVANEIOS, título dado a esta obra, não poderia ser mais apropriado, principalmente pelo fato de seu autor achar-se nesta condição e de promover à sua volta que todos comunguem com ele a alegria de sonhar e de desejar, sem restrições, sem se importar com que os outros pensam ou que possam achar absurdo o ato de mostrar-se autêntico, sensível, amável, emotivo, feliz.

As incursões de Irajá Barreto Cibils junto ao teatro já traduziam a sensibilidade ímpar deste homem, capaz de despir-se de suas imperfeições para lapidar-se através de seus personagens imaginários, com o firme propósito de descobrir-se verdadeiramente. […]

Álvaro Santestevan – Poeta e ex-presidente da CAPOCAM

Veterinário, produtor rural (com muito orgulho), ator, diretor, professor e dramaturgo de teatro, poeta, escritor, bruxo. Falar de mim é difícil. Não quero parecer pretencioso, tampouco modesto. Sou Capricorniano do dia 12/01/1957, com ascendente em Aquário e Lua em Gêmeos. Meu lado pé no chão tenta segurar-me enraizado na Terra, mas o Ar de Aquário e Gêmeos me faz viajar pelo Cosmo ao passado e ao futuro. Sou filho de Xangô, com isto, odeio injustiças! Sou um apaixonado pela Vida e o que ela me proporciona através da Natureza, as suas infinitas e maravilhosas belezas. Sou espírita, depois de ter experimentado várias religiões, mas foi aí que me encontrei. Não acredito em religião alguma, tampouco em Igrejas, sacerdotes, pastores, pregadores, etc. Frequento o maior de todos os Templos – a própria Natureza! Os livros ditos sagrados abomino! Pois foram escritos por homens tão cheios de vaidades, asperezas, ignorâncias, preconceitos, como qualquer humano, então, não me sinto à vontade para seguir qualquer orientação destas criaturas. Minha prosa poética aborda diversos assuntos, respeito as opiniões contrárias, mas constituem-se dos meus pensamentos e filosofias, que, aos meus sessenta e dois anos de idade, reservo-me o direito de não modificá-los irremediavelmente! Espero que os leitores dos meus escritos, de alguma forma, identifiquem-se, ou não, com o que coloco, tenham, sim, uma boa leitura e permitam-se viajar comigo.

Conteúdo da aba

Irajá Barreto Cibils - Palavras ecoando ao vento

Tudo o que vibra, brilha e pulsa, vamos encontrar em cada texto de Irajá Barreto Cibils – pelo simples motivo de que isso representa a Vida. E mais, a Vida intensa. Mais ainda: a Vida, perene porque é Palavra, é Literatura. É livro. […]

Palavras ecoando ao vento reúne 143 textos gritando aos quatro cantos do mundo os seus encantos poderosos.

São temas que se multiplicam em pegadas, passos e tempestades transformadoras, pelo caos revolucionário, em conquistas humanas.

Rossyr Berny

Veterinário, produtor rural (com muito orgulho), ator, diretor, professor e dramaturgo de teatro, poeta, escritor, bruxo. Falar de mim é difícil. Não quero parecer pretencioso, tampouco modesto. Sou Capricorniano do dia 12/01/1957, com ascendente em Aquário e Lua em Gêmeos. Meu lado pé no chão tenta segurar-me enraizado na Terra, mas o Ar de Aquário e Gêmeos me faz viajar pelo Cosmo ao passado e ao futuro. Sou filho de Xangô, com isto, odeio injustiças! Sou um apaixonado pela Vida e o que ela me proporciona através da Natureza, as suas infinitas e maravilhosas belezas. Sou espírita, depois de ter experimentado várias religiões, mas foi aí que me encontrei. Não acredito em religião alguma, tampouco em Igrejas, sacerdotes, pastores, pregadores, etc. Frequento o maior de todos os Templos – a própria Natureza! Os livros ditos sagrados abomino! Pois foram escritos por homens tão cheios de vaidades, asperezas, ignorâncias, preconceitos, como qualquer humano, então, não me sinto à vontade para seguir qualquer orientação destas criaturas. Minha prosa poética aborda diversos assuntos, respeito as opiniões contrárias, mas constituem-se dos meus pensamentos e filosofias, que, aos meus sessenta e dois anos de idade, reservo-me o direito de não modificá-los irremediavelmente! Espero que os leitores dos meus escritos, de alguma forma, identifiquem-se, ou não, com o que coloco, tenham, sim, uma boa leitura e permitam-se viajar comigo.

Conteúdo da aba

Irajá Barreto Cibils - Pensamentos soltos nas madrugadas infindas

Antes de tudo, sinta a abrangência literária e humana do título deste novo livro com o qual Irajá Barreto Cibils nos brinda: Pensamentos soltos… já é uma afirmação que beira tudo o que não é finito; transporta nosso coração à constelação de Capricórnio em um único segundo, e o traz de volta.

nas madrugas infindas, onde o tempo cansou de ser luz e agora é multiplicada luminosidade. E o título é só o começo do livro que, livre de amarras, amarra-nos e brilha especialmente para o privilegiado leitor. Por vezes até assustado com o fulgor de cada texto – invariavelmente datados – como se a mão que escreve possui igualmente um ferro em brasa, marcador. […]

O narrador escriba destes 76 textos nos conduz magicamente com sua varinha de condão verbal, emprestando-nos sua emoção criadora. E o leitor deixa-se levar porque deixa-se encantar. Não como a serpente perigosa que precisa ser abatida, mas como seres que necessitam beber na fonte bendita da sensibilidade restauradora que é a magia de um livro lido. […]

Rossyr Berny – editor

Veterinário, produtor rural (com muito orgulho), ator, diretor, professor e dramaturgo de teatro, poeta, escritor, bruxo. Falar de mim é difícil. Não quero parecer pretencioso, tampouco modesto. Sou Capricorniano do dia 12/01/1957, com ascendente em Aquário e Lua em Gêmeos. Meu lado pé no chão tenta segurar-me enraizado na Terra, mas o Ar de Aquário e Gêmeos me faz viajar pelo Cosmo ao passado e ao futuro. Sou filho de Xangô, com isto, odeio injustiças! Sou um apaixonado pela Vida e o que ela me proporciona através da Natureza, as suas infinitas e maravilhosas belezas. Sou espírita, depois de ter experimentado várias religiões, mas foi aí que me encontrei. Não acredito em religião alguma, tampouco em Igrejas, sacerdotes, pastores, pregadores, etc. Frequento o maior de todos os Templos – a própria Natureza! Os livros ditos sagrados abomino! Pois foram escritos por homens tão cheios de vaidades, asperezas, ignorâncias, preconceitos, como qualquer humano, então, não me sinto à vontade para seguir qualquer orientação destas criaturas. Minha prosa poética aborda diversos assuntos, respeito as opiniões contrárias, mas constituem-se dos meus pensamentos e filosofias, que, aos meus sessenta e dois anos de idade, reservo-me o direito de não modificá-los irremediavelmente! Espero que os leitores dos meus escritos, de alguma forma, identifiquem-se, ou não, com o que coloco, tenham, sim, uma boa leitura e permitam-se viajar comigo.

Conteúdo da aba

Ireno Schulz - Um tal de Delegado Ireno

        Um tal de Delegado Ireno é uma obra despida de qualquer pretensão às categorias literárias consagradas, constitui uma peculiar prestação de contas oferecida por um Delegado de Polícia devotado que, numa época de pujança do desvalor generalizada, não somente “mostra serviço” em homenagem à consciência do cumprimento do dever, no que independe de análises pontuais face ao inusitado das narrativas, à vista do seu conjunto repleto de convicção, como também desvela a dura realidade do confronto com a criminalidade e da busca do bem-estar social.

        Mostra-se sobremodo gratificante a honrosa oportunidade de registrar estas linhas prefaciais no livro do escritor Ireno Schulz, visto que dotada de um certo tom místico, se considerada a minha condição de colega antecessor do autor na Delegacia de Polícia de Esteio, e, sobretudo, em razão da vivência de alguns desfechos similares decorrentes da rigorosa prática do repertório ético/profissional também e da mesma forma vinculado ao exercício da nobre função de policial civil.

Nelson Soares de Oliveira
Advogado e ex-Delegado de Polícia

        IRENO SCHULZ, escritor da presente obra, é igualmente Advogado e Delegado de Polícia aposentado. Nasceu no interior do distrito de Horizontina, então município de Santa Rosa-RS. É filho de colonos e viveu até os 10 anos nas regiões de Santa Rosa e Venâncio Aires. Em 1957, seus pais foram morar na cidade de Venâncio Aires, e ele, então com 11 anos, logo empregou-se na Lavanderia Voigt como arrecadador e entregador de roupas. Um ano depois, 1958, quando concluiu o Curso Primário, ganhou uma bolsa de estudos de Leonel Brizola e foi estudar no Colégio Jacob Renner, de Montenegro, onde fez o Curso Ginasial.

        Em 1963, passou em um concurso e foi estudar na Escola Agrotécnica de Alegrete, onde obteve a média mais alta de toda a escola. Em 1965, a mesma foi fechada pelo Exército.

        Em Porto Alegre, Ireno Schulz passou a estudar no Colégio Júlio de Castilhos, onde fez dois anos do Curso Científico e dois do Curso Clássico, formando-se em 1969; sempre trabalhando e estudando.

        De 1967 a 1979, foi vendedor de livros, automóveis e apartamentos. Entre 1970 e 1973, trabalhou nas oficinas da VARIG, durante a implantação do controle operacional computadorizado. Em 1971, passou no vestibular do Curso de Direito da PUC, mesmo ano em que casou e passou a morar em Esteio. Em 1972, passou no concurso e, em março de 1973, iniciou a carreira de Inspetor de Polícia, cuja atividade exerceu por quatro anos. Em 1975, fez o Curso de Agente de Segurança de Personalidades, único curso de tal especialização no Brasil, até então, quando formou-se com a média mais alta da história da Academia de Polícia do Rio Grande do Sul.

        Em 1976, concluiu a Faculdade de Direito e, no mesmo ano, formou-se no Curso Superior de Delegado de Polícia. Trabalhou em vários municípios do interior do Estado e em praticamente todos os setores da Polícia Civil do RS, até que, em 1985, assumiu a titu-laridade da Delegacia de Polícia de Esteio, sua cidade do coração. Por discordar dos métodos utilizados pelo Ministério Público na atividade de controle “externo” da atividade policial, em 2009, Ireno pediu transferência para o município de Nova Santa Rita, onde, em 2017, aposentou-se.

        Empenhado no auxílio às comunidades onde exerceu seu ofício, lembra, emocionado, que, ao ver uma criança morrer queimada na Vila Pedreira, enquanto aguardava o Corpo de Bombeiros de Canoas, Ireno viu que Esteio necessitava de um Corpo de Bombeiros que pudesse socorrer os munícipes e imediatamente movimentou o empresariado, então, através do CONSEPRO, criado por ele, Esteio ganhou seu Corpo de Bombeiros.

        Por onde passou e serviu profissionalmente, também recebeu merecidas honrarias das comunidades, como, por exemplo, Cidadão Benemérito de Esteio.

        Por isso, traçando um painel histórico de sua vida e suas vivências, neste 2020, apesar dos danos mundiais da pandemia do coronavírus, nos oferece seu singular e belo livro: Um tal de Delegado Ireno, contendo algumas memórias das experiências fantásticas vividas por ele ao longo de seus 74 anos.

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

L

M

N

O

P

Q

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z