B

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

L

M

N

O

P

Q

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

Badu - Cortinas Sépia

Não se conquista facilmente o sucesso de publicações sem chegar-se a um quinto livro, com qualidades, como é o caso do Badu. Longo e árduo tem sido o percurso deste escritor, nascido e vivendo no interior gaúcho. Pequena, aconche-gante, quase um paraíso terreno é sua Água Santa – mas com a universalidade com que Tolstoi já afirmava: “Canta tua aldeia e cantarás o mundo.” Cortinas sépia descortina, em verdade, a história de um menino que nem nome necessita. Ou como o próprio autor comenta: Poderia ser Luis, Pedro, Mauricio ou ter um nome qualquer, seria eu? Cortinas descem qual véus, mostram o romancista que é o menino-personagem ou contrário? Enfim, importa que esta novela nos encanta do início ao fim. Em linguagem fotográfica que, mais do que um texto, é um filme na mente do leitor. Senão, leiamos: Rolam bolinhas de gude e o sutil brilho acentuado nos olhos nesse espaço de livres meninos na terra batida envolta de gramado verdinho da praça de um esquecido vilarejo. Encantados pelo livro, resta ao leitor, aplaudir.
Badu é portador de neces-sidades especiais, com artrite reumatoide e poucos movimentos no corpo. Editou O voo do menino anjo, em 2009, e Vitrais da inocência, em 2011. Nasceu e vive em Água Santa, no Rio Grande do Sul, descrevendo na forma poética de seus livros ideais e sonhos na busca de seu maior desejo: liberdade. Estático como espantalho e sonhador como menino acre-ditando em um mundo de amor, igualdade, respeito e com mais inclusão social.

Conteúdo da aba

Badu - O Espantalho Sonhador

Vivemos em um mundo em que muitos obstáculos afinam-se em dores que parecem intransponíveis, mas verdadeiros heróis em sua humanidade e fragilidade buscam a mágica da vida em cores, alegrias e sonhos. Enfrentam caminhos tortuosos aos quais não sabem bem o rumo, mas sempre almejando um brilho em sorrisos. O escritor Badu, em seu O espantalho sonhador, narra uma bela história de desejos, sonhos, amizade, esperança, inclusão, da busca do suplantar as dificuldades. O autor, que apre-senta dificuldades motoras, dá asas à imaginação de seu espantalho que almeja movimentos e quer viajar por outros mundos além da plantação onde vive. O boneco, com auxílio de uma coruja e seus poderes mágicos, consegue movimentar-se e ir a outros locais. Encontra novos personagens e universos, seres que igualmente apresentam dificuldades, sejam físicas ou emocionais, e vai ajudando-os a vencer seus percal-ços em uma bela mensagem de amizade e inclusão, em que todos podem e devem buscar viver em harmonia, apesar das diferenças. A história, coroada com lindas ilustrações em cores, é um belo presente tanto para crianças quanto adultos, com sua simbologia de valorizarmos a amizade e a convivência. Uma história para engrandecer o amor, que como nas palavras do autor, “deficiência maior é não saber amar”. E Badu espalha seus desejos de amor pelos mundos em seu livro. Os Editores
Badu é portador de neces-sidades especiais, com artrite reumatoide e poucos movimentos no corpo. Editou O voo do menino anjo, em 2009, e Vitrais da inocência, em 2011. Nasceu e vive em Água Santa, no Rio Grande do Sul, descrevendo na forma poética de seus livros ideais e sonhos na busca de seu maior desejo: liberdade. Estático como espantalho e sonhador como menino acre-ditando em um mundo de amor, igualdade, respeito e com mais inclusão social.

Conteúdo da aba

A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

L

M

N

O

P

Q

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z